Ana Lucia de Camargo Corrêa – nascimento de Willian

Venho por meio deste contar minha experiência.

Incontáveis foram as horas em que passei na internet procurando relatos e experiências de outras mulheres, até que encontrei o site do abc do parto. Li todos os relatos e me atentava a cada detalhe.

Eu, com 30 anos em minha segunda gestação, estava bastante ansiosa… Minha primeira filha, hoje com 8 anos, nasceu de uma cesariana que hoje sei ter sido realizada para o conforto do obstetra da época… Sempre que as pessoas me questionavam e eu dizia ter tido uma cesariana anterior, me falavam a uma só voz: “Pode esquecer… vai ser outra cesárea”. Isto me chateava bastante…<

Como com 17 semanas tive contrações, iniciei antibioticoterapia por conta de infecção de urina… o médico ainda era o mesmo que havia feito a cesárea de minha “filhota”, então comecei a sentir um certo desprezo e descaso em relação as minhas queixas e resolvi mudar de obstetra… que maravilha… foi a melhor coisa que fiz. A Dra. Fernanda Caetano, recém chegada de Pouso Alegre conseguiu me encaixar como mulher, como uma gestante… me ouvia, me dava conselhos, tirava as minhas duvidas, discutia com meu esposo os passos de quaisquer procedimentos e me encorajou a esperar o parto normal já que era meu grande sonho… Chegava a chorar quando lia os relatos de parto das pacientes do Dr. Marcos e vivia a me indagar como seria o meu momento.

Todas as segundas e quartas feiras, a TV era minha das 19 às 21 hs, assistia todos os programas da Discovery Home e Health e apesar de trabalhar em uma UTI Neonatal, tinha todas as dúvidas e curiosidades de uma primigesta, apesar de não ser uma…

Com 24 semanas fizemos o US morfológico, muito emocionante o exame, choramos bastante de emoção ao ser revelado que um garotinho estava a caminho.. Com 28 semanas de gestação tive sangramento e me afastei do trabalho. Daí para frente me apaixonei pelo site e indiquei a várias amigas gestantes. Perto de 38 semanas recebi muitos conselhos para desistir de esperar e fazer cesárea… Mas lembrava dos relatos maravilhosos de parto normal e renovava minhas forças para esperar… A minha data provável do parto seria 16/12/08.

Meu esposo, médico veterinário, me apoiava muito na decisão do parto normal e me incentivava dizendo: Amor, todas as mulheres do mundo tem a capacidade de dar a luz sem intervenções cirúrgicas, chegará o momento em que a natureza dirá: estão prontos ambos para o nascimento. Ele sempre me agüentava reclamar que não agüentava mais, que não dormia mais direito, que estava gorda… (apesar de ter engordado apenas 6,8 Kg na gestação).

Não sei dizer o porquê, mas eu sempre pressenti que entraria em trabalho de parto a noite… desta forma, toda vez que amanhecia, eu chorava… impaciente: AINDA NÃO FOI DESTA VEZ. E assim a DPP ia se aproximando cada vez mais tornando minha esperança mais frágil…

No dia 11 de dezembro, acordei inspirada: limpei toda a casa, fiz comida para congelar para a próxima semana inteira, fiz bolo, lavei roupas, passei, passeei com minha cachorrinha e super exausta, às 23 horas fui me deitar… acordei , para minha grande surpresa a meia noite com a cama molhada e fui ao banheiro tomar uma ducha, a meia noite e três tive minha primeira contração, chamei meu esposo, Willian, que começou a contar as contrações e elas se repetiam pontualmente a cada 3 minutos. Colocamos a Lorena, minha primeira filha no carro e em meio as contrações trocava de roupa e ajustava as malas no carro com a ajuda do Willian. Chegamos a Santa Casa a 1:00 h da manha do dia 12/12/08. A Dra. Fernanda chegou uns minutos depois, pois a avisei no caminho do Hospital. As contrações se intensificavam e eu perdia bastante líquido… A surpresa ao examinar-me: estava com 6 cm de dilatação!!!! Nem eu acreditei…

Ela me pediu para entrar no chuveiro e ficar por lá um tempo e me instruiu que quando viesse a dor, era para eu abaixar de cócoras e tentar fazer força… Pobre de mim, quando veio a dor, me agachei e não consegui me levantar mais… que dor, mas era como se nada tivesse acontecido quando ela passava.

Eu comecei a sentir que as contrações estavam ficando mais intensas e acontecendo em menos tempo. Pedi que me desse anestesia e uma neonatologista a Dra. Veronica Hoddar, veio da neo para me dar uma força… e que força…Meu marido ficou o tempo todo segurando a minha mão e passando a mão em minha cabeça que estava molhada de suor pela dor… A 1:58 hs novo toque: 9 cm de dilatação e eu disse: “Mentira!!! Vocês estão dizendo isso para não chamar anestesista”… Que nada … era  a mais pura verdade… Neste momento eu estava desfalecendo de tanta dor e ouvi quando o foco do bebê mostrava bradicardia. A Dra. Fernanda me disse que eu deveria fazer força quando viesse a dor… e assim eu fiz.. Fui para a sala de parto andando… Me posicionaram e fiz força comprida… na segunda vez, senti uma forte ardência no canal vaginal e lembrei-me de ter lido que esta dor ocorre quando o bebê está coroando… continuei a força e ele chorou… que emoção mais linda!!! Meu Deus, eu não acreditava, eu tinha conseguido!!! E tudo foi muito rápido!!!

Meu bebê nasceu às 2:33 hs da manhã do dia 12/12/08, pesando 3.225 Kg, 49 cm e teve Apgar 10/10!

Agradeço de coração o Dr. Marcos Tadeu Garcia, pois mesmo não o conhecendo admiro-o por realizar tão maravilhoso trabalho…</p><p class=”blocotextog”>Hoje somos uma família feliz e completa com a chegada do Willianzinho e a Lorena me ajuda muito, é uma irmã maravilhosa!!!

Beijos a todos e coragem mulheres: é ter paciência… e o parto acontece…